A Estrutura de Capital é Relevante para a Rentabilidade dos Bancos? Evidências Empíricas nos Maiores Bancos Brasileiros com Papéis Negociados na [B]3

Alexandre Franco de Godoi, José Odálio dos Santos, Fernando de Almeida Santos, José Carlos Marion

Resumo


Objetivo: Identificar evidências da relevância da estrutura de capital e das principais estratégias bancárias para a maximização de valor nos bancos.

Método: Pesquisa de natureza empírico-analítica, descritiva, de abordagem quantitativa, sendo os dados longitudinais coletados da base de dados Economatica® entre o período do 1º trimestre de 2008 ao 4º trimestre de 2018. Para as análises foram realizados testes de regressão linear com dados em painel (panel data).

Principais resultados: Há evidências da relevância da estrutura de capital e da influência de estratégias bancárias para a rentabilidade dos bancos mensurada com base no ROICAJUSTADO.

Relevância e originalidade: A atualidade, relevância e debates críticos inevitáveis sobre o tema desperta o interesse da área acadêmica por pesquisas direcionadas à análise crítica da relevância da estrutura de capital e de estratégias operacionais para a maximização de valor.

Contribuições teóricas: Oportuniza o debate acadêmico inevitável acerca da relevância da estrutura de capital e das principais estratégias bancárias para a maximização de valor nos maiores bancos de capital aberto.

Contribuições sociais: Contribui para o processo decisório de gestores, investidores, analistas financeiros e órgãos reguladores do setor ao abordar a relevância da estrutura de capital para os bancos, os riscos e custos envolvidos, os principais aspectos que incentivam níveis elevados de alavancagem financeira e os fatores determinantes para a rentabilidade.


Palavras-chave


Relevância da Estrutura de Capital; Determinantes da Rentabilidade Bancária; Desempenho dos Bancos

Texto completo:

PDF

Referências


Aboura, S., & Lépinette, E. (2015). Do banks satisfy the Modigliani-Miller theorem? Economics Bulletin, 35(2), 924-935.

Andrade, C. R. (2014). Basileia III: Uma análise das novas recomendações do Comitê de Supervisão Bancária da Basileia sobre o setor financeiro brasileiro (Dissertação de Mestrado). Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS, Brasil.

Assaf, A., Neto. (2015). Estrutura e análise de balanços: Um enfoque econômico-financeiro (11a ed.). São Paulo: Atlas.

Banco Central do Brasil. (2017). Plano contábil das instituições do Sistema Financeiro Nacional (COSIF). Banco Central do Brasil (BACEN). Brasília: Autor.

Banco Central do Brasil. (2019). IF.data – Dados selecionados de instituições financeiras. Banco Central do Brasil (BACEN). Brasília: Autor.

Belém, V. C., & Gartner, I. R. (2016). Análise empírica dos buffers de capital dos bancos brasileiros no período de 2001 a 2011. Revista de Contabilidade e Finanças USP. São Paulo, 27(70), 113-124.

Berger, A. N., Herring, R. J., & Szegö, G. P. (1995). The role of capital in financial institutions. Wharton Financial Institutions Center. (Working Paper n. 95-01), 1-55.

Bittencourt, W. R., Bressan, V. G. F., Goulart, C. P., Bressan, A. A., Costa, D. R. M., & Lamounier, W. M. (2017). Rentabilidade em bancos múltiplos e cooperativas de crédito brasileiros. Revista de Administração Contemporânea. Rio de Janeiro, 21, 22-40.

Caliman, L., Sarlo Neto, A., Reina, D., & Junior, E. M. (2016). Bancos Comerciais e Múltiplos versus Cooperativas de Crédito: Uma Análise Comparativa dos Indicadores Econômico-Financeiros. Anais do XIX Seminários em Administração – SemeAd, São Paulo, SP, Brasil.

Ceretta, P. S., & Niederauer, C. A. P. (2001). Rentabilidade e Eficiência no Setor Bancário Brasileiro. Revista de Administração Contemporânea. Rio de Janeiro, 5(3), 7-26.

Chen, S. (2014). Integrated bank analysis and valuation: A practical guide to the ROIC methodology. The Palgrave Macmillan, London.

Coelho, E. G. (2015). Estrutura de Capital: Um estudo bibliométrico dos reflexos de seus determinantes. Anais do XV Congresso USP de Controladoria e Contabilidade 2015: Contabilidade e Controladoria no Século XXI. São Paulo, SP, Brasil.

Copeland, T., Koller, T., & Murrin, J. (2002). Avaliação de empresas – valuation: Calculando e gerenciando o valor das empresas. (3a ed.). São Paulo: Pearson Brasil.

Creswell, J. W. (2010). Projeto de pesquisa: Métodos qualitativo, quantitativo e misto. (3a ed.). Porto Alegre: Artmed.

Diamond, D. W., & Rajan, R. G. (2001). Liquidity risk, liquidity creation, and financial fragility: A theory of banking. Journal of Political Economy, 109(2), 287-327.

D’Oliveira, E. H. (2014). Determinantes da lucratividade bancária no Brasil (Dissertação de Mestrado). Universidade de Brasília – UnB, Brasília, DF, Brasil.

Duarte, P. C., Lamounier, W. M., & Takamatsu, R. T. (2007). Modelos econométricos para dados em painel: Aspectos teóricos e exemplos de aplicação à pesquisa em contabilidade e finanças. Anais do IV Congresso USP de Iniciação Científica em Contabilidade 2007, São Paulo, SP, Brasil.

Gonçalves, R. S., Tavares, A. L., Ximenes, P. M., & Silva, R. M. P. (2012). Comportamento dos dez maiores bancos brasileiros durante a crise do subprime: Uma análise por meio de indicadores contábeis. Revista de Educação e Pesquisa em Contabilidade. Brasília, 6(2), 170-186.

Gray, D. E. (2012). Pesquisa no mundo real. (2a ed.). Porto Alegre: Penso.

Greene, W. H. (2012). Econometric analysis. (7a ed.). International Edition: Pearson.

Gujarati, D. N., & Porter, D. C. (2011). Econometria básica. (5a ed.). Porto Alegre: AMGH.

Hair, J. F., Jr., Babin, B., Money, A. H., & Samouel, P. (2005). Fundamentos de métodos de pesquisa em administração. Porto Alegre: Bookman.

Jensen, M. C. (1986). Agency costs of free cash flow, corporate finance and takeovers. American Economic Review, 76(2), 323-329.

Jokipii, T., & Milne, A. (2008). The cyclical behavior of European bank capital buffers. Journal of Banking and Finance, 32(8), 1440-1451.

Jucá, M. N. (2011). Determinantes da estrutura de capital de bancos brasileiros e norte-americanos (Tese de Doutorado). Universidade de São Paulo, São Paulo, SP, Brasil.

Maffili, D. W., Bressan, A. A., & Souza, A. A. (2007). Estudo da rentabilidade dos bancos brasileiros de varejo no período de 1999 a 2005. Contabilidade Vista e Revista, 18(2), 117-138.

Mantovani, M. H. C.; Santos, J. O. (2015). Análise da Relação entre Alavancagem e Rentabilidade dos Bancos Brasileiros Listados na Bolsa de Valores de São Paulo no Período de 2001 a 2010. REGE Revista de Gestão, 22(4), 509-524.

Martin, D. M. L., Kimura, H., Kayo, E. K., & Santos, F. H. L. (2011). Determinantes da Lucratividade de Grandes Bancos Brasileiros: Uma Abordagem em Painel com DEA e MPI. Anais do XXXV Encontro da ANPAD – EnANPAD, Rio de Janeiro, RJ, Brasil.

Martins, G. A. (2002). Manual para elaboração de monografias e dissertações. (3a ed.). São Paulo: Atlas.

Mendonça, D. J., Souza, J. A., Benedicto, G. C., & Silva, S. N. A. (2016). Relação entre eficiência econômico-financeira e lucratividade em instituições bancárias brasileiras. Anais do XIX Seminários em Administração – SemeAd, São Paulo, SP, Brasil.

Menezes, G. (2017). Dados de painel no EViews: Technical report. ResearchGate, 1-24.

Modigliani, F., & Miller, M. H. (1958). The cost of capital, corporation finance and the theory of investment. The American Economic Review, 48(3), 261-297.

Octavia, M., & Brown, R. (2008). Determinants of bank capital structure in developing countries: regulatory capital requirement versus the standard determinants of capital structure. (Working Paper). Social Science Research Network.

Oliveira, V. H., Macedo, M. A. S., & Corrar, L. J. (2011). Estudo do Desempenho dos Maiores Bancos de Varejo no Brasil por meio da Análise Envoltória de Dados (DEA). Revista de Informação Contábil - RIC, 5(2), 1-20.

Orgler, Y. E., & Taggart, R. A., Jr. (1983). Implications of corporate capital structure theory for banking institutions. Journal of Money, Credit and Banking, 15(2), 212-221.

Pinheiro, F. A. P., Savóia, J, R. F., & Securato, J. R. (2015). Basileia III: Impacto para os bancos no Brasil. Revista Contabilidade e Finanças, São Paulo, 26(69), 345-361.

Primo, U. R., Dantas, J. A., Medeiros, O. R., & Capelletto, L. R. (2013). Determinantes da Rentabilidade Bancária no Brasil. BASE - Revista de Administração e Contabilidade da Unisinos, 10(4), 308-323.

Rime, B. (2001). Capital requirements and bank behavior: Empirical evidence for Switzerland. Journal of Banking and Finance, 25(4), 789-805.

Romdhane, M. (2010). The determinants of banks’ capital ratio in developing countries: Empirical evidence from Tunisia. Social Science Research Network (SSRN).

Ross, S. A., Westerfield, R. W., Jaffe, J., & Lamb, R. (2015). Administração financeira: versão brasileira de corporate finance. (10a ed.). Porto Alegre: AMGH Editora.

Rover, S., Tomazzia, E. C., & Fávero, L. P. (2011). Determinantes econômico-financeiros e macroeconômicos da rentabilidade: Evidências empíricas do setor bancário brasileiro. Anais do XXXV Encontro da ANPAD – EnANPAD, Rio de Janeiro, RJ, Brasil.

Saunders, A. (2000). Administração de instituições financeiras: Tradução Antonio Zoratto Sanvicente. São Paulo: Atlas.

Souza, M. F. A., & Macedo, M. A. S. (2009). Análise de desempenho contábil-financeiro no setor bancário brasileiro por meio da aplicação da análise envoltória de dados (DEA). BASE - Revista de Administração e Contabilidade da Unisinos, 6(2), 81-100.

Vallascas, F., & Hagendorff, J. (2013). The risk sensitivity of capital requirements: evidence from an international sample of large banks. Review of Finance, 17(6), 1947-1988.

Vieira, C. A. M. (2016). Determinantes da lucratividade bancária: Evidências do sistema financeiro brasileiro. Anais do XIX Seminários em Administração – SemeAd, São Paulo, SP, Brasil.

Vinhado, F. S., & Divino, J. A. (2013). Determinantes da rentabilidade das instituições financeiras no Brasil. Análise Econômica, 31(59), 77-101.

Wall, L. D., & Peterson, P. P. (1998). The choice of capital instruments. Federal Reserve Bank of Atlanta, Economic Review, 4-17.

Wooldridge, J. M. (2002). Econometrics analysis of cross section and panel data. The MIT Press, Cambridge, MA.




DOI: http://dx.doi.org/10.18568/internext.v16i1.577

Article Metrics

Metrics Loading ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2020 Internext

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia

INTERNEXT (e-ISSN: 1980-4865)

ESPM | Escola Superior de Propaganda e Marketing 

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.


Rua: Dr. Álvaro Alvim, 123 - Vila Mariana - São Paulo - SP - Cep: 04018-010 - e-mail: internext@espm.br

Indexadores e Diretório: