Internext https://internext.espm.br/internext <p>A <strong>Revista Eletrônica de Negócios Internacionais (Internext)</strong> tem como proposta ser um veículo acadêmico para a produção na área de Gestão Internacional.</p> <p>Temas sejam de interesse à Gestão Internacional, tais como:</p> <ul> <li>A internacionalização de empresas latino-americanas.</li> <li>A estratégia de empresas multinacionais.</li> <li>Relação subsidiária e matriz, e papel da subsidiária.</li> <li>A compreensão das diferentes culturas de países e regiões.</li> <li>Diferentes estilos de gestão entre culturas.</li> <li>Problemas comuns às indústrias globais como pirataria, comportamento do consumidor de produtos globais e outros.</li> <li>Tópicos internacionais de Recursos Humanos como expatriação de executivos.</li> <li>Transferência de conhecimento entre unidades da empresa multinacional.</li> <li>Perspectivas críticas sobre gestão internacional.</li> <li>Empreendedorismo internacional</li> <li>Análise e política econômica</li> </ul> <p><strong>e-ISSN</strong>: 1980-4865 | <strong>Ano de criação</strong>: 2006 | <strong>Área do conhecimento</strong>: Administração | <strong>Qualis</strong>: A3 (Previsão - Novo Qualis).</p> pt-BR <!-- /* Font Definitions */ @font-face {font-family:Calibri; panose-1:2 15 5 2 2 2 4 3 2 4; mso-font-charset:0; mso-generic-font-family:swiss; mso-font-pitch:variable; mso-font-signature:-536870145 1073786111 1 0 415 0;} /* Style Definitions */ p.MsoNormal, li.MsoNormal, div.MsoNormal {mso-style-unhide:no; mso-style-qformat:yes; mso-style-parent:""; margin-top:0cm; margin-right:0cm; margin-bottom:10.0pt; margin-left:0cm; line-height:115%; mso-pagination:widow-orphan; font-size:11.0pt; font-family:"Calibri","sans-serif"; mso-fareast-font-family:Calibri; mso-bidi-font-family:"Times New Roman"; mso-fareast-language:EN-US;} a:link, span.MsoHyperlink {mso-style-priority:99; mso-style-parent:""; color:blue; text-decoration:underline; text-underline:single;} a:visited, span.MsoHyperlinkFollowed {mso-style-noshow:yes; mso-style-priority:99; color:purple; mso-themecolor:followedhyperlink; text-decoration:underline; text-underline:single;} span.GramE {mso-style-name:""; mso-gram-e:yes;} .MsoChpDefault {mso-style-type:export-only; mso-default-props:yes; mso-ascii-font-family:Calibri; mso-fareast-font-family:Calibri; mso-hansi-font-family:Calibri;} @page WordSection1 {size:595.3pt 841.9pt; margin:70.85pt 3.0cm 70.85pt 3.0cm; mso-header-margin:35.4pt; mso-footer-margin:35.4pt; mso-paper-source:0;} div.WordSection1 {page:WordSection1;} --><!-- [if gte mso 10]> <mce:style><! /* Style Definitions */ table.MsoNormalTable {mso-style-name:"Tabela normal"; mso-tstyle-rowband-size:0; mso-tstyle-colband-size:0; mso-style-noshow:yes; mso-style-priority:99; mso-style-parent:""; mso-padding-alt:0cm 5.4pt 0cm 5.4pt; mso-para-margin:0cm; mso-para-margin-bottom:.0001pt; mso-pagination:widow-orphan; font-size:10.0pt; font-family:"Calibri","sans-serif";} --> <p><span style="font-size: 0.875rem;">• O(s) autor(es) autoriza(m) a publicação do artigo na revista;</span></p> <div class="WordSection1"> <p><br />• O(s) autor(es) garante(m) que a contribuição é original e inédita e que não está em processo de avaliação em outra(s) revista(s);</p> <p><br />• A revista não se responsabiliza pelas opiniões, ideias e conceitos emitidos nos textos, por serem de inteira responsabilidade de seu(s) autor(es);</p> <p><br />• É reservado aos editores o direito de proceder ajustes textuais e de adequação do artigo às normas da publicação.</p> <p>Autores mantêm os direitos autorais e concedem à revista o direito de primeira publicação, com o trabalho simultaneamente licenciado sob a <strong><strong><span id="texto" class="texto_conteudo"><strong><span id="texto" class="texto_conteudo"><strong><span id="texto" class="texto_conteudo"><strong><span id="texto" class="texto_conteudo"><strong><span id="texto" class="texto_conteudo"><strong><strong><span id="texto" class="texto_conteudo"><strong><strong><span id="texto" class="texto_conteudo"><strong><strong><span id="texto" class="texto_conteudo"><strong><strong><span id="texto" class="texto_conteudo"><strong><strong><span id="texto" class="texto_conteudo"><span class="style1"><strong><a href="http://creativecommons.org/licenses/by/3.0/deed.pt_BR" rel="license">Creative Commons Atribuição 3.0 Não Adaptada</a></strong></span></span></strong></strong></span></strong></strong></span></strong></strong></span></strong></strong></span></strong></strong></span></strong></span></strong></span></strong></span></strong></span></strong></strong><strong>, </strong>que permite o compartilhamento do trabalho com reconhecimento da autoria e publicação inicial nesta revista.</p> <p>Autores têm autorização para assumir contratos adicionais separadamente, para distribuição não exclusiva da versão do trabalho publicada nesta revista (ex.: publicar em repositório institucional ou como capítulo de livro), com reconhecimento de autoria e publicação inicial nesta revista.</p> <p>Autores têm permissão e são estimulados a publicar e distribuir seu trabalho <em>online</em> (ex.: em repositórios institucionais ou na sua página pessoal) a qualquer ponto antes ou durante o processo editorial, já que isso pode gerar alterações produtivas, bem como aumentar o impacto e a citação do trabalho publicado (Veja O Efeito do Acesso Livre) em <a href="http://opcit.eprints.org/oacitation-biblio.html" target="_blank" rel="noopener">http://opcit.eprints.org/oacitation-biblio.html</a></p> </div> internext@espm.br (Fernanda Cahen) revistainternext@gmail.com (Editorial Team) Thu, 08 Dec 2022 11:56:00 -0300 OJS 3.3.0.11 http://blogs.law.harvard.edu/tech/rss 60 Como uma empresa de uma economia emergente supera as limitações e constrói legitimidade em um ambiente institucional de alta qualidade https://internext.espm.br/internext/article/view/701 <p><strong>Objetivo:</strong> Examinar como uma empresa proveniente de um país emergente adota estratégias específicas para neutralizar os passivos de origem estrangeira (LOF), emergência (LOE) e não pertinência a redes (LOO) e para ganhar legitimidade em um ambiente institucional de alta qualidade. <strong>Método:</strong> Estudo de caso único, em profundidade, de uma empresa brasileira do setor de tecnologia da informação, com base em dados secundários e entrevistas. <strong>Principais Resultados:</strong> O estudo mostra como a aquisição de uma empresa local lidou com os três passivos: LOF, adquirindo conhecimento sobre a estrutura institucional do ambiente do país de destino; LOE, ao desvincular a imagem da empresa do país de origem e enfatizar uma imagem global; e LOO, obtendo acesso a conexões já estabelecidas em redes internacionais pela empresa adquirida. <strong>Relevância/ Originalidade:</strong> Ainda há uma escassez de literatura sobre como as empresas de outros países emergentes, além da China — e particularmente da América Latina —, adotam estratégias para atenuar LOF, LOE e LOO ao se internacionalizarem para ambientes institucionais de alta qualidade. <strong>Contribuições Teóricas/ Metodológicas:</strong> Fornecer uma visão aprofundada da relação entre LOF, LOE e LOO e suas manifestações; e proporcionar uma compreensão da relação entre os passivos enfrentados e as estratégias de legitimação adotadas para superá-los ao longo da expansão internacional de uma empresa de alta tecnologia proveniente de uma economia emergente da América Latina.</p> Vivian Peuker Sardon Steinhauser, Angela da Rocha Copyright (c) 2022 Vivian Steinhauser, Angela da Rocha http://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 https://internext.espm.br/internext/article/view/701 Thu, 02 Feb 2023 00:00:00 -0300 Aprendendo com o caso do Paciente 31: Uma perspectiva transcultural sobre a capacidade de difusão de redes corporativas na América Latina https://internext.espm.br/internext/article/view/698 <p><strong>Objetivo:</strong> Este artigo teve como objetivo de discutir como os grandes <em>linkers</em> das redes corporativas constituem uma área de oportunidades de desenvolvimento na América Latina. <strong>Método:</strong> Empregamos uma análise qualitativa que mescla literatura de redes sociais e se baseia na teoria das diretorias interligada com um estudo de caso fascinante rotulado de fenômeno Paciente 31, que ocorreu durante o surto de coronavírus em Coreia do Sul. <strong>Principais Resultados:</strong> Geramos gestão e <em>insights</em> conceituais sobre os processos de difusão de práticas de negócios, que têm uma série de profundas implicações para a teoria e a prática sobre como as redes corporativas apresentam diferenças na sua capacidade de difusão. <strong>Relevância / Originalidade:</strong> Processos de contágio viral não são segredo para as ciências da saúde, mas ainda são pouco pesquisados no contexto das práticas gerenciais em relação aos processos de difusão. O vírus da COVID-19 tem sido (e é) uma ameaça significativa para a saúde global desde o início de 2020, bem como um desafio operacional para quase todas as organizações em todo o mundo. <strong>Contribuições Teóricas / Metodológicas:</strong> Os resultados destacam a alta dos <em>superspreaders</em> poder de difusão, alertam sobre os riscos de incluir espalhadores do tipo Paciente 31 como membros dos conselhos das empresas e também fornecem recomendações sobre como os formuladores de políticas poderia aproveitar essa capacidade de difusão pelas redes organizacionais.</p> Miguel Cordova, Cristina Sambrook Copyright (c) 2022 Miguel Cordova, Cristina Sambrook http://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 https://internext.espm.br/internext/article/view/698 Thu, 08 Dec 2022 00:00:00 -0300 Marketing en emprendimientos sociales: un análisis comparativo entre Brasil y México https://internext.espm.br/internext/article/view/695 <p><strong>Objetivo: </strong>Explorar si existe alguna combinación causal de condiciones de marketing que afecten en la etapa de crecimiento de las propuestas de emprendimiento social en dos países emergentes: Brasil y México. <strong>Método: </strong>Se desarrolló una investigación de tipo exploratorio, aplicando un análisis configuracional cualitativo comparativo con 18 estudios de caso o unidades de estudio, nueve de cada país, para descubrir la combinación de condiciones clave de variables de marketing asociadas en la etapa de crecimiento de los emprendimientos estudiados. <strong>Principales Resultados: </strong>En México, el crecimiento se presenta con la presencia de un punto de distribución, acercamiento a múltiples mercados objetivo, misión híbrida y estrategia de precios de penetración. En Brasil, en cambio, el crecimiento se explica por los precios de penetración, la variedad de productos y servicios, los múltiples puntos de distribución y los programas de fidelización. <strong>Relevancia: </strong>Este trabajo es relevante por su contribución a la comprensión del papel de las variables de marketing en la supervivencia y la ampliación a la fase de crecimiento de los emprendimientos sociales sociales. <strong>Contribuciones Teóricas/Metodológicas: </strong>El artículo contribuye al avance del conocimiento de las capacidades de marketing en emprendimientos sociales en etapa de crecimiento en los países emergentes.</p> <p> </p> Judith Cavazos Arroyo, Nadia Kassouf Pizzinatto Copyright (c) 2022 Judith Cavazos Arroyo, Nadia Kassouf Pizzinatto http://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 https://internext.espm.br/internext/article/view/695 Mon, 19 Dec 2022 00:00:00 -0300 Grupos de negócios e aquisições transfronteiriças: evidências das multilatinas https://internext.espm.br/internext/article/view/700 <p><strong>Objetivo: </strong>Este estudo busca examinar como as multilatinas afiliadas ao grupo empresarial influenciam o grau de propriedade adquirida em suas aquisições internacionais na região. <strong>Método: </strong>Consideramos uma amostra de 342 aquisições transfronteiriças realizadas pelas 58 multilatinas da Argentina, Brasil, Chile, Colômbia e México durante o período de 2008 a 2018. Para testar nossas hipóteses, selecionamos as Equações de Estimação Generalizadas (GEE), um estimador variante de Modelos Lineares Generalizados (GLS). <strong>Principais Resultados: </strong>Com base na teoria da agência e internacionalização, fornecemos evidências de que a propriedade das multilatinas em uma aquisição internacional é determinada pelos fatores da empresa — afiliação ao grupo empresarial, diversificação internacional e estrutura acionária estatal. Em geral, o grau de propriedade nas aquisições internacionais será determinado pelo grau de diversificação. Além disso, concluímos que as multilatinas com forte capital estatal provavelmente adquirirão menor grau de propriedade de aquisições transfronteiriças na região. <strong>Relevância / Originalidade: </strong>Este estudo contribui para o desenvolvimento da teoria, fornecendo mais informações sobre as multilatinas e integrando os fundamentos teóricos da teoria da agência para explicar o grau de propriedade. Especificamente, esta pesquisa forneceu uma nova visão para esclarecer nossa compreensão das multilatinas e sua afiliação com grupos empresariais como fatores determinantes na propriedade adquirida em aquisições internacionais. <strong>Contribuições Teóricas / Metodológicas:</strong> Esta pesquisa demonstra empiricamente a importância do grau de propriedade no processo de aquisição de empresas estrangeiras por multilatinas. Este estudo considerou várias características comuns de multinatinas no processo de aquisição internacional, tais como o grupo empresarial, a diversificação e a participação estatal.</p> Damián Fernández, Cristina Lelis Leal Calegario, Marco Túlio Dinali Viglioni Copyright (c) 2022 Damián Fernández, Cristina Lelis Leal Calegario, Marco Túlio Dinali Viglioni http://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 https://internext.espm.br/internext/article/view/700 Wed, 21 Dec 2022 00:00:00 -0300 Como as capacidades institucionais das multinacionais da América Latina influenciam a propriedade nas aquisições internacionais https://internext.espm.br/internext/article/view/699 <p><strong>Objetivo:</strong> Empresas multinacionais (EMN) podem aprender com sua experiência nos países anfitriões e desenvolver uma habilidade para lidar com ineficiências institucionais específicas. Propomos que as capacidades institucionais das multinacionais, ou as capacidades para lidar com ambientes institucionalmente subdesenvolvidos, provavelmente reduzirão os requisitos de propriedade em negócios subsequentes. <strong>Método: </strong>Usando regressões com um conjunto de dados secundário de 1.686 aquisições transfronteiriças feitas por empresas latino-americanas em todo o mundo, investigamos como as capacidades previamente adquiridas das multinacionais para operar em países com qualidade regulatória subdesenvolvida, estado de direito menos efetivo e menor controle de corrupção reduzem a propriedade adquirida em acordos de aquisição subsequentes. <strong>Principais Resultados:</strong> Mostramos que multinacionais com experiência em aquisições transfronteiriças (CBA) em países com contextos institucionais fracos aprendem a trabalhar nesses contextos institucionais. Assim, essas multinacionais constroem capacidades que as tornam mais propensas a assumir uma participação acionária menor em futuras CBA. <strong>Relevância/ Originalidade:</strong> Ainda há muito a ser entendido sobre até que ponto o conhecimento desenvolvido em um país pode ser extrapolado e utilizado em outro país com problemas semelhantes. Aprofundamos esse assunto com uma visão institucional. <strong>Contribuições Teóricas/ Metodológicas:</strong> Este estudo contribui para melhor compreensão do efeito das capacidades institucionais nas participações acionárias.</p> Christian Falaster, Manuel Aníbal Silva Portugal Vasconcelos Ferreira Copyright (c) 2022 Christian Falaster, Manuel Aníbal Silva Portugal Vasconcelos Ferreira http://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 https://internext.espm.br/internext/article/view/699 Wed, 21 Dec 2022 00:00:00 -0300 O papel do Investimento Direto Estrangeiro para o desenvolvimento da Capacidade Inovadora na Indústria de Energia Eólica Offshore Brasileira https://internext.espm.br/internext/article/view/702 <p><strong>Objetivo: </strong>Propor um modelo que identifique como o investimento direto estrangeiro (IDE) impulsiona o desenvolvimento de capacidades dinâmicas (CD) para gerar capacidade de inovação (CI) na indústria brasileira de energia eólica <em>offshore</em>. <strong>Método: </strong>Pesquisa qualitativa do tipo estudo de caso, com amostragem de <em>snow-ball</em> baseada em 32 entrevistas semiestruturadas de 26 empresas atuantes no setor de energia eólica <em>offshore</em>. A análise de conteúdo foi utilizada na análise dos dados coletados. <strong>Principais Resultados:</strong> A análise revelou que o IDE impulsiona CDs para gerar CI, apontando também novas categorias (achados), como: difusão de inovação tecnológica, vazios institucionais e tríplice hélice para o desenvolvimento de tecnologia inovadora na indústria de energia eólica <em>offshore</em>. <strong>Relevância / Originalidade:</strong> Articulação contextual entre IDE, CD e CI aplicada à conjuntura das empresas de energia eólica <em>offshore</em> e seu desenvolvimento no mercado. <strong>Contribuições Teóricas / Metodológicas: </strong>Apresentou-se um novo modelo de literatura articulado em IDE e CD, gerando CI, elucidando a originalidade de nossos achados através da apresentação de novas categorias para examinar a indústria eólica <em>offshore</em>, incluindo Difusão de Inovação Tecnológica, Vazios Institucionais, e Tríplice Hélice . <strong>Contribuições Sociais / para a Gestão: </strong>IDE articulado pelas instituições para gerar a adoção de uma tecnologia no âmbito institucional, organizacional e regulatório visando preencher vazios institucionais por meio de um ecossistema inovador e tecnológico.</p> Matheus Eurico Soares de Noronha, Benfatti, Martins, Lietti Copyright (c) 2022 Matheus Eurico Soares de Noronha, Benfatti, Martins, Lietti http://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 https://internext.espm.br/internext/article/view/702 Tue, 31 Jan 2023 00:00:00 -0300 Artigo aplicado convidado: a ascensão do empreendedorismo digital na américa latina https://internext.espm.br/internext/article/view/735 <p><strong>Objetivo:</strong> Este artigo discute por que as <em>start-ups</em> digitais estão florescendo na América Latina. <strong>Método:</strong> Nosso cenário de pesquisa são as empresas digitais latino-americanas. Nossa análise está baseada em empresas digitais do Brasil, Argentina, México, Chile e Colômbia. Examinamos listas de empresas unicórnio latinas (avaliação + US$ 1 bilhão) e outras empresas digitais proeminentes, compiladas de fontes disponíveis da CB Insights e TechCrunch. Coletamos sistematicamente dados sobre a trajetória de crescimento das empresas de fontes de dados, incluindo material <em>on-line</em> dos <em>sites</em> oficiais das empresas e relatórios públicos, comunicados à imprensa e entrevistas à imprensa feitas pelos CEO das empresas e relatórios internos. <strong>Principais Resultados:</strong> O artigo discute os <em>drivers</em> por trás da escala e expansão de <em>start-ups</em> digitais e a crescente maturidade dos ecossistemas empreendedores que as sustentam. <strong>Relevância / Originalidade:</strong> Embora as empresas digitais latino-americanas tenham conquistado a atenção da mídia e dos investidores, há poucas análises de como essas empresas ultrapassaram o estágio inicial e ampliaram suas operações. <strong>Contribuições Teóricas / Metodológicas:</strong> Nossa contribuição está focada em entender as condições particulares da América Latina e o impacto dos empreendimentos digitais no cenário de negócios da região. Trazemos <em>insights</em> práticos de como as empresas digitais latino-americanas estão crescendo, já que o empreendedorismo digital está experimentando uma rota de crescimento extraordinária na região e está vinculado ao crescimento econômico e à inovação.</p> Veneta Andonova, Lourdes Casanova, Diego Finchelstein, Juana Garcia Duque Copyright (c) 2022 Veneta Andonova, Lourdes Casanova, Diego Finchelstein, Juana Garcia Duque http://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 https://internext.espm.br/internext/article/view/735 Thu, 02 Feb 2023 00:00:00 -0300