Causas e Impactos da Instabilidade Política na Perfomance do Comércio Internacional

Autores

DOI:

https://doi.org/10.18568/internext.v14i1.445

Palavras-chave:

Instabilidade Política, Comércio Exterior, Globalização, Governos, Crise Política

Resumo

Esta pesquisa apresenta um estudo reflexivo acerca de possíveis causas e os impactos da instabilidade política no desempenho do comércio internacional. Em formato de ensaio teórico, este artigo baseia-se em revisão teórica de autores que discutem sobre a globalização e seus reflexos sobre os Estados, e sobre as especificidades que caracteriza a instabilidade política. Na sequência, com o intuito de evidenciar os elementos que foram identificados a partir da revisão teórica, foi realizado o estudo baseado em levantamento documental, que detalham as situações e contexto de países que passam ou passaram por instabilidade política recentemente: Tunísia, Ucrânia, Paraguai e Brasil, a fim de analisar os impactos que as instabilidades políticas causam no Comércio Internacional destes países. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Thamires Stoffel, Universidade FEEVALE

Bacharel em Comércio Exterio pela Universidade FEEVALE, Rio Grande do Sul, (Brasil). 

Vanessa Theis, Universidade FEEVALE

Doutora em Qualidade Ambiental na Universidade FEEVALE, Rio Grande do Sul, (Brasil).

Dusan Schreiber, Universidade FEEVALE

Doutor em Administração pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul - UFRGS, Rio Grande do Sul, (Brasil). Coordenador do Mestrado em Indústria Criativa e Professor do PPG em Qualidade Ambiental na Universidade FEEVALE, Rio Grande do Sul.

Referências

Adarov, A., Astrov, V., Havlik, P., Hunya, G., Landesmann, M., & Podkaminer, L. (2015). How to Stabilise the Economy of Ukraine. The Vienna Institute for International Economic Studies (wiiw), April.

Ahmed, M. U., & Pulok, M. H. (2013). The role of political stability on economic performance: the case of Bangladesh. Journal of Economic Cooperation & Development, 34(3), 61.

Al Jazeera. (2012). Paraguay: Impeachment or political coup. Disponível em: < https://www.aljazeera.com/programmes/insidestoryamericas/2012/06/20126265451105780.html>.Acesso em: 07 março 2018.

Almeida, W., & Santana, H. L. (2014). Integração e democracia: Os interesses políticos locais que distorcem o direito internacional e a crise política resultante da suspensão do Paraguai do Mercosul.Revista de Informação Legislativa, v. 51, n. 203, p. 91-110, jul./set.

Badillo, M. J. (2007). Gobernando sin mayorías parlamentarias en América Latina. Opinião Pública, 13(1), 148-184.

BBC News. (2011). Entenda a crise na Tunísia. Disponível em: <http://www.bbc.com/portuguese /noticias/2011/01/110114_tunisia_qa_rc.shtml>. Acesso em 17 de ago. 2016.

BBB News. (2012). Paraguai será único país na América Latina com recessão em 2012. Disponível em:< https://www.bbc.com/portuguese/noticias/2012/11/121127_paraguai_recessao_dg>. Acesso em 17 dez 2018.

Bittencourt, A., & Vieira, C. (2016). “O efeito da Lava Jato no PIB se confirmou” diz Gesner Oliveira. Valor Econômico. Disponível em: http://www.valor.com.br/valor-investe/casa-das-caldeiras/4672327/o-efeito-da-lava-jato-no-pib-se-confirmou-diz-gesner-olivei>. Acesso em 13 de jun 2018.

Camara de Comercio e Industria Portuguesa. (2018). Ucrânia: Enquadramento Económico. Disponível em: <https://www.ccip.pt/pt/newsletter-internacional/897-ucrania-enquadramento-economico>. Acesso em 05 de jun. 2018.

Campos, L., & Canavezes, S. (2007). Introdução à Globalização. Instituto Bento Jesus Caraça: Abril.

Carmo, M. (2014). Paraguai descola do Brasil e tem 3° maior crescimento do mundo em 2013. Bbc News. Disponível em: < http://www.bbc.com/portuguese/noticias/2014/01/140119_paraguai_econ omia_pai_mc>. Acesso em 09 março 2018.

Chasquetti, d. (2001), Democracia, Multipartidarismo y Coaliciones en América Latina: Evaluando la Difícil Combinación. in J. Lanzaro (org.), Tipos de Presidencialismo

Cheibub, J. A. (2002). Minority governments, deadlock situations, and the survival of presidential democracies. Comparative political studies, 35(3), 284-312.

Cervo, A. L., Bervian, P. A., & Silva, R. (2007). Metodologia científica. 6. ed. São Paulo, SP: Pearson Prentice Hall.

Chemingui, M. A., & Sánchez, M. V. (2011). The Republic of Tunisia. United Nations Department for Social and Economic Affairs.

Chomiak, L. (2014). The richness of Tunisia’s new politics. Disponível em: <https://www.washingtonpost.com/blogs/monkey-cage/wp/2014/10/29/the-richness-of-tunisias-new-politics/>. Acesso 07 março de 2018.

Clark, G. (2008). Política econômica e Estado. Estudos avançados, 22(62), 207-217.

Coelho, B. D., & Oliveira J., (2016). A internacionalização de empresas na agenda governamental contemporânea de desenvolvimento: reflexões críticas e analíticas para os negócios internacionais. Cadernos EBAPE. BR, 14.

Costas, R. Escândalo da Petrobras engoliu 2,5% da economia de 2015. (2015) BBC Brasil. Disponível em: <http://www.bbc.com/portuguese/noticias/2015/12/ 151201_lavajato_ru>. Acesso em 26 ago. 2016.

Drazen, A. (2000). The political business cycle after 25 years. NBER macroeconomics annual, 15, 75-117.

Exame. (2015) Economia ucraniana se contrairá 12% este ano, indica BM. Disponível em: <http://exame.abril.com.br/economia/noticias/economia-ucraniana-se-contraira-12-este-ano-indica-bm>. Acesso em: 09 março 2018.

Exame. (2016) A linha do tempo do impeachment de Dilma. Disponível em: <http://exame.abril.com.br/brasil/noticias/a-linha-do-tempo-do-impeachment-de-dilma-ate-agora>. Acesso em 21 ago. 2016.

Felter, C., & Labrador, R. C. (2018). Brazil’s Corruption Fallout. Council on Forgein Relations. Disponível em: <https://www.cfr.org/backgrounder/brazils-corruption-fallout> Acesso em 17 de jun 2018.

Fundo Monetário Internacional. (2016). Corruption: Costs and Mitigating Strategies. 2016. Disponível em: <http://www.imf.org/external/pubs/ft/sdn/2016/sdn1605.pdf>. Acesso em 26 ago, 2016.

Frizzera, G. (2013). A suspensão do Paraguai no MERCOSUL: problema interno, solução externa. Conjuntura Global, 2(3), p. 156-164.

Fronzaglia, M. L. (2011). Políticas Públicas Internacionais: o caso do Processo de Bolonha. 310 f. Tese (Doutorado em Ciências Políticas) – UNICAMP, Campinas, SP.

G1. (2013). Entenda a crise na Ucrânia. Disponível em: <http://g1.globo.com/ mundo/noticia/2013/12/entenda-os-protestos-na-ucrania.html>. Acesso em 17 ago. 2016.

G1. (2013). UNASUL anula suspensão do Paraguai. Disponível em: <http://g1.globo.com/ mundo/noticia/2013/08/suspensao-do-paraguai-na-unasul-e-anulada.html>. Accesso em: 24 ago. 2016.

G1. (2016). Indústria recua 2,5%, a maior queda para fevereiro da série histórica. Disponível em: < http://g1.globo.com/economia/noticia/2016/04/producao-da-industria-recua-25-em-fevereiro.html>. Acesso em: 10 jul 2018.

Gil, A. C. (2008). Métodos e técnicas de pesquisa social. 6. ed. Ediitora Atlas SA.

Hinds, R. (2014). Conflict analysis of Tunisia. GSDRC, University of Birmingham.

Joffé, G. (2011). A Primavera Árabe no Norte da África: as origens e perspectivas de futuro. Relações Internacionais, n. 30, Lisboa jun.

Jornal el País. As razões da crise ucraniana. 2014. Disponível em:< https://brasil.elpais.com/brasil/2014/03/03/internacional/1393862263_932760.html.> Acesso em 17 dezembro 2018.

Köche, J. C. (2011). Fundamentos de metodologia científica: teoria da ciência e iniciação à pesquisa. Editora Vozes, Petrópolis.

Lins, H. N. (2013). Globalização, empresas transnacionais e Estado nacional: ensaio sobre questões candentes da atualidade considerando o setor agroalimentar e o Brasil.

Macedo, F., & Yoneya, F. (2016). Petrobras é o segundo maior escândalo de corrupção do mundo, aponta Transparência Internacional. Disponível em: <http://politica.estadao.com.br/blogs/fausto-macedo/petrobras-e-o-segundo-maior-escandalo-de-corrupcao-do-mundo-aponta-transparencia-internacional/>. Acesso em: 9 março 2018.

Marconi, M. A., & Lakatos, E. M. (2011). Metodologia científica. 6. ed., rev. ampl. São Paulo, SP: Atlas.

Mariano, K. P. (2007). Globalização, integração e o estado. Lua Nova, 123-168.

Ministério Das Relações Exteriores, Departamento De Promoção Comercial E Investimentos E Divisão De Inteligência Comercial. Guia de Negócios: Tunísia. Disponível em: <https://investexportbrasil.dpr.gov.br/arquivos/Publicacoes/ComoExportar/GNTunisia.pdf>. Acesso em: 09 março 2018.

Ministério das Relações Exteriores, Departamento de Promoção Comercial e Investimentos e Divisão de Inteligência Comercial. Ucrânia: Comércio Exterior. Disponível em: <http://www.investexportbrasil.gov.br/sites/default/files/publicacoes/indicadoresEconomicos/INDUcrania.pdf>. Acesso em: 09 março 2018.

Ministério das Relações Exteriores, Departamento de Promoção Comercial e Investimentos e Divisão de Inteligência Comercial. Paraguai: Comércio Exterior. Disponível em: <http://www.investexportbrasil.gov.br/sites/default/files/publicacoes/indicadoresEconomicos/INDParaguai.pdf>. Acesso em: 09 março 2018.

Ministério das Relações Exteriores, Departamento de Promoção Comercial e Investimentos e Divisão de Inteligência Comercial. Brasil: Comércio Exterior. Disponível em: <https://investexportbrasil.dpr.gov.br/arquivos/IndicadoresEconomicos/web/index.html?a=INDBrasil&p=00001 >. Acesso em: 09 março 2018.

Moura, D. F., Filipe, J. A., Ferreira, M. A. M., Coleho, M., &Pedro, I. (2011). An Analysis of the Political Risks Environment in American Developing Countries. Lisboa: International Journal of Academic Research, 3(4).

Negretto, G. L. (2004). Minority Presidents and types of government in Latin America. Centro de Investigación y Docencia Económicas.

Ó.G. (2015). Desemprego e terror corroem a Tunísia. EL PAÍS. Disponível em: <https://brasil.elpais.com/brasil/2015/03/21/internacional/1426971014_091993.html> Acesso em 18 de jun de 2018.

Pereira, A. K. B. (2015). Mudança Social e Instabilidade Política: uma leitura da obra de Samuel Huntigton. In.: III Semana de Ciência Política - Universidade Federal de São Carlos, São Paulo.

Pessanha, M. V. M. (2015). Crise institucional, desenvolvimento econômico e instabilidade política: como a corrupção enfraquece as instituições democráticas brasileiras. Disponível em: <https://jus.com.br/artigos/37734/crise-institucional-desenvolvimento-economico-e-instabilidade-politica-como-a-corrupcao-enfraquece-as-instituicoes-democraticas-brasileiras>. Acesso em: 09 março 2018.

Ramicone, A., Rocca, P., Gisser, S., & Metzger, J. (2014). The Ukrainian Crisis: A Disputed Past and Present. Harvard Policy Brief.

Segal, D. (2015). O escândalo da Petrobras e o sonho perdido dos brasileiros. Disponível em:< http://economia.estadao.com.br/noticias/geral,escandalo-da-petrobras-deixa-brasileiros-lamentando-um-sonho-perdido,1741265>. Acesso: 09 março 2018.

Sírio, A. O. (2012). O Impeachment de Lugo: Uma mistura de interesses, oportunismo e valos discutíveis. Disponível:< https://pucminasconjuntura.wordpress.com/2012/09/28/o-impeachment-de-lugo-uma-mistura-de-interesses-oportunismo-e-valores-discutiveis/>. Conjuntura Internacional. PUC Minas. Acesso 09 março 2018.

Souza, A. L. C. F. (2009). Instabilidade política e quedas presidenciais na América do Sul: causas e consequências. Disponível em:< paperroom.ipsa.org/papers/paper_2290.pdf>. Congresso Mundial de Ciência Política – IPSA, Santiago, Chile. Acesso em: 09 março 2018.

The Heritage Foudation. (2016a) Index Economic Freedom. Tunísia. Disponível em: < https://www.heritage.org/index/country/tunisia>. Acesso em: 09 março 2018.

The Heritage Foudation. (2016b). Index Economic Freedom. Ukraine. Disponível Em: . Acesso em: 09 março 2018.

The Heritage Foudation. (2016c). Index Economic Freedom. Paraguay. Disponível em: <http://www.heritage.org/index/country/paraguay>. Acesso em: 09 março 2018.

The World Bank. (2012). Tunísia. Disponível em: <https://data.worldbank.org/country/tunisia>. Acesso em: 09 março 2018.

Torres, J. B. (2006). Oportunidades e riscos no comércio internacional para as empresas exportadores pernambucanas. 228 f. Dissertação (Mestrado em Economia) - Universidade Federal de Pernambuco, RE.

Valor Econômico. (2015). FMI: Corrupção e crise política afundaram recessão no Brasil. Disponível em: <http://www.valor.com.br/brasil/4260976/fmi-corrupcao-e-crise-politica-aprofundaram-recessao-no-brasil>. Acesso em: 09 março 2018.

Villaverde, J. O PT e o governo de Dilma em 2015. ESTADÃO. Disponível em: < https://economia.estadao.com.br/blogs/joao-villaverde/o-pt-e-o-governo-dilma-em-2015/>. Acesso em 10 jul 2018.

Verdugo, L. E. B., Furceri, D., & Guillaume, D. (2013). The Dynamic Effect of Social and Political Instability on Output: The Role of Reforms. International Monetary Fund. Disponível em: < https://www.imf.org/external/pubs/ft/wp/2013/wp1391.pdf >. Acesso em: 09 março 2018.

Vergara, S. C. (2016). Projetos e relatórios de pesquisa em administração. 16. ed. Rio de Janeiro: Atlas.

Weller, L. (2017). A Lava Jato e o tombo do investimento. Escola de Economia de São Paulo Fundação Getúlio Vargas. Disponível em: <http://eesp.fgv.br/noticias/lava-jato-e-o-tombo-do-investimento>. Acesso em 06 de jun 2018.

World Bank Group. (2012). World Investment Trends and Corporate Perspectives the Political Risk Insurance Industr Breach of Contract. Washington: Multilateral Investment Guarantee Agency. Disponível em: < www.miga.org/sites/default/files/archive/.../WIPR13.pdf>. Acesso em 12 dez 2018.

Downloads

Publicado

2019-01-02

Como Citar

Stoffel, T., Theis, V., & Schreiber, D. (2019). Causas e Impactos da Instabilidade Política na Perfomance do Comércio Internacional. Internext, 14(1), 31–44. https://doi.org/10.18568/internext.v14i1.445

Edição

Seção

Artigos

Artigos Semelhantes

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.