A Produção Científica em Born Globals nos Periódicos e Encontros Científicos Brasileiros

Thiago Alberto Viana de Sousa, Thomaz Novais Rocha, Sérgio Henrique Arruda Cavalcante Forte

Resumo


Objetivo: O objetivo deste artigo foi analisar a produção científica em periódicos brasileiros no tema born globals.

Método: Foi realizada uma análise bibliométrica de toda a produção científica no Brasil até o mês de outubro de 2019, nos periódicos de Qualis A1 a B3 e anais do ENANPAD.

Principais resultados: Dentro da temática abordada nos artigos, verifica-se uma predominância pelo processo de internacionalização das born globals e pela evolução do conceito de internacionalização. As instituições do sul e sudeste do Brasil são as que contabilizam maior número de publicações na temática.

Relevância/originalidade: Analisar a produção científica brasileira sobre born globals é útil para pesquisadores em seus futuros estudos sobre internacionalização.

Contribuições teóricas/metodológicas: A investigação contribui com a evolução teórica do tema, mostrando o desenvolvimento da pesquisa em born globals no Brasil ao longo dos anos.


Palavras-chave


Born global; Internacionalização; Empresas internacionais; Estudo bibliométrico

Texto completo:

PDF

Referências


Bogaert, J., Rousseau, R., & Van Hecke, P. (2000). Percolation as a model for informetric distributions: fragment size distribution characterised by Bradford curves. Scientometrics, 47(2), 195-206.

Borgatti, S. P., Everett, M. G., & Freeman, L. C. (2002). Ucinet for Windows: Software for Social Network Analysis. Harvard, MA: Analytic Technologies.

Cavusgil, S. T., & Knight, G. (2015). The born global firm: An entrepreneurial and capabilities perspective on early and rapid internationalization. Journal of International Business Studies, 46(1), 3-16.

Çakar, N. D., & Ertürk, A. (2010). Comparing innovation capability of small and medium‐sized enterprises: examining the effects of organizational culture and empowerment. Journal of Small Business Management, 48(3), 325-359.

Chetty, S., & Campbell-Hunt, C. (2004). A strategic approach to internationalization: a traditional versus a “born-global” approach. Journal of International Marketing, 12(1), 57-81.

Chueke, G. V., & Amatucci, M. (2015). O que é bibliometria? Uma introdução ao fórum. Internext, 10(2), 1-5.

Dib, L. A. (2008). O processo de internacionalização de pequenas e médias empresas e o fenômeno Born global: estudo do setor de software no Brasil. Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Dib, L. A., Da Rocha, A., & Da Silva, J. F. (2010). The internationalization process of Brazilian software firms and the born global phenomenon: Examining firm, network, and entrepreneur variables. Journal of International Entrepreneurship, 8(3), 233-253.

Dunning, J. H. (1988). The eclectic paradigm of international production: A restatement and some possible extensions. Journal of International Business Studies, 19(1), 1-31.

Dzikowski, P. (2018). A bibliometric analysis of born global firms. Journal of Business Research, 85, 281-294.

Ferreira, A. G. C. (2010). Bibliometria na avaliação de periódicos científicos. DataGramaZero-Revista de Ciência da Informação, 11(3), 1-9.

Fleury, A., & Fleury, M. T. (2007). Leme. Internacionalização das empresas brasileiras: em busca de uma abordagem teórica para os late movers. Internacionalização e os Países Emergentes. São Paulo: Atlas.

Gabrielsson, M., Kirpalani, V. M., Dimitratos, P., Solberg, C. A., & Zucchella, A. (2008). Born globals: Propositions to help advance the theory. International Business Review, 17(4), 385-401.

Gil, A. C. (2002). Como elaborar projetos de pesquisa. São Paulo, 5(61), 16-17.

Guedes, V. L., & Borschiver, S. (2005). Bibliometria: uma ferramenta estatística para a gestão da informação e do conhecimento, em sistemas de informação, de comunicação e de avaliação científica e tecnológica. CINFORM–Encontro Nacional de Ciência da Informação, 6.

Hennart, J. F. (2014). The accidental internationalists: a theory of born globals. Entrepreneurship Theory and Practice, 38(1), 117-135.

Johanson, J., & Vahlne, J. E. (1977). The internationalization process of the firm—a model of knowledge development and increasing foreign market commitments. Journal of International Business Studies, 8(1), 23-32.

Jones, M. V., & Coviello, N. E. (2005). Internationalisation: conceptualising an entrepreneurial process of behaviour in time. Journal of International Business Studies, 36(3), 284-303.

Keupp, M. M., & Gassmann, O. (2009). The past and the future of international entrepreneurship: a review and suggestions for developing the field. Journal of Management, 35(3), 600-633.

Knight, G. A., & Cavusgil, S. T. (1996). The born global firm: A challenge to traditional internationalization theory. In Cavusgil, S., & Madsen, T. Eds. Advances in international marketing (Vol. 8). Greenwich, CT: JAI Press.

Knight, G. A., & Cavusgil, S. T. (2004). Innovation, organizational capabilities, and the born-global firm. Journal of International Business Studies, 35(2), 124-141.

Kobashi, N. Y., & Santos, R. N. M. (2008). Arqueologia do trabalho imaterial: uma aplicação bibliométrica à análise de dissertações e teses. Encontros Bibli: Revista Eletrônica de Biblioteconomia e Ciência da Informação, 13(1), 106-115.

Souza, E., & Lima, A. (2016). Born Globals: uma revisão da teoria e sugestões para iniciativas de pesquisa no Brasil. In XIX SEMEAD - Seminários em Administração. São Paulo: Universidade de São Paulo.

Machado Junior, C., Souza, M. T. S., Parisotto, I. R. S., & Palmisano, A. (2016). As leis da Bibliometria em diferentes Bases de dados Científicos. Revista de Ciências da Administração, 18(44).

Madsen, T. K., & Servais, P. (1997). The internationalization of born globals: an evolutionary process?. International Business Review, 6(6), 561-583.

Neuman, W. L. (2013). Social research methods: Qualitative and quantitative approaches. Pearson education.

Oliveira, R. R., & Sales, F. S. (2014). Estudos bibliométricos na área da administração: um estudo sobre o perfil dos pesquisadores em ambiente de inovação. In Congresso Nacional de Excelência em Gestão. Rio de Janeiro.

Oviatt, B. M., & McDougall, P. P. (1994). Toward a theory of international new ventures. Journal of International Business Studies, 25(1), 45-64.

Oviatt, B. M., & McDougall, P. P. (2005). Defining international entrepreneurship and modeling the speed of internationalization. Entrepreneurship Theory and Practice, 29(5), 537-554.

Rennie, M. W. (1993). Born global. The McKinsey Quarterly, (4), 45.

Rialp, A., Rialp, J., & Knight, G. A. (2005). The phenomenon of early internationalizing firms: what do we know after a decade (1993–2003) of scientific inquiry?. International Business Review, 14(2), 147-166.

Ribeiro, F. F., & Pimentel, J. E. (2009). Empresas born globals brasileiras: a influência do perfil do empreendedor e da localização geográfica. Caderno de Administração. Revista da Faculdade de Administração da FEA. ISSN 1414-7394, 5(1).

Stocker, F., & Abib, G. (2019). Gerenciamento de Riscos em Born globals: o caso das Cervejarias Artesanais Brasileiras. BBR. Brazilian Business Review, 16(4), 334-349.

Teixeira, M. L. M., Iwamoto, H. M., & Medeiros, A. L. (2013). Estudos bibliométricos (?) em administração: discutindo a transposição de finalidade. Administração: Ensino e Pesquisa, 14(3), 423-452.

Van Leeuwen, T. (2006). The application of bibliometric analyses in the evaluation of social science research. Who benefits from it, and why it is still feasible. Scientometrics, 66(1), 133-154.

Verdu, F. C., & Bulgacov, S. (2012). A internacionalização de uma pequena empresa. REBRAE, 5(2), 179-190.

Weerawardena, J., & Mort, G. S. (2006). Investigating social entrepreneurship: A multidimensional model. Journal of World Business, 41(1), 21-35.




DOI: http://dx.doi.org/10.18568/internext.v15i2.525

Article Metrics

Metrics Loading ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2020 Revista Eletrônica de Negócios Internacionais

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia

INTERNEXT (e-ISSN: 1980-4865)

ESPM | Escola Superior de Propaganda e Marketing 

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.


Rua: Dr. Álvaro Alvim, 123 - Vila Mariana - São Paulo - SP - Cep: 04018-010 - e-mail: internext@espm.br

Indexadores e Diretório: