Vinhos brasileiros: é possível a internacionalização?

Autores

  • Geni Satiko Sato

DOI:

https://doi.org/10.18568/1980-4865.11243-259

Palavras-chave:

Vinhos, Estratégias, Brasil, Wine, Market strategies

Resumo

Este estudo buscou identificar as estratégias utilizadas pelas vinícolas brasileiras para atingir padrões de qualidade de vinhos semelhantes ao do mercado internacional. A metodologia utilizada foi o estudo de casos e foram analisadas as vinícolas Miolo e Salton. Identificou-se como a principal especificidade produtiva o fator locacional e a estratégia tem sido a expansão das atividades para áreas com aptidão climática para vinhos, como o Vale do São Francisco (Nordeste) e região fronteira com o Uruguai. Para compensar pontos fracos devido às condições naturais, as empresas utilizam tecnologias modernas, contratação de enólogos renomados e parcerias. Outro fator limitante para o crescimento produtivo é o mercado interno ainda pequeno, com um consumo de 2 litros por pessoa/ano e a estratégia utilizada é segmentação de mercado na forma piramidal, considerando as variáveis qualidade e preço.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Geni Satiko Sato

Doutora em administração pela EAESP-FGV. Pesquisadora cientifica do instituto de economia agricola, IEA.

Downloads

Publicado

2008-01-15

Como Citar

Sato, G. S. (2008). Vinhos brasileiros: é possível a internacionalização?. Internext, 1(1), 243–259. https://doi.org/10.18568/1980-4865.11243-259

Edição

Seção

Artigos

Artigos Semelhantes

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.