Nível de competitividade dos produtos exportados por Minas Gerais

Felipe Lopes Vieira Vasconcelos, Elisa Maria Pinto da Rocha, Jane Noronha Carvalhais

Resumo


O presente trabalho busca compreender o nível de competitividade dos produtos exportados por Minas Gerais, identificando os setores já consolidados no comércio internacional do estado e aqueles que necessitam de políticas públicas de fomento às exportações. Para tal, utiliza-se do método exploratório-descritivo de pesquisa, que proporciona uma visão geral de algumas das principais ideias que dizem respeito ao comércio internacional, mostrando sua importância para o desenvolvimento econômico de uma localidade, e da pesquisa documental, que explora os dados e informações disponibilizadas pela plataforma DataViva. Os produtos exportados foram agrupados pela combinação das variáveis Índice de Vantagem Comparativa Revelada (RCA) e peso no conjunto das exportações. O trabalho busca reforçar a importância do comércio internacional e da teoria ricardiana ao desenvolvimento econômico de uma localidade. Os resultados mostraram que os produtos da pauta mineira, quando comparados com os produtos Competitivos e Com Potencial Competitivo da pauta do Brasil, não apresentam, em sua maioria, o mesmo nível de competitividade, demonstrando que muitos desses produtos ainda podem ter suas exportações estimuladas dentro do território mineiro. Além disso, os produtos Com Potencial Competitivo exportados por Minas Gerais mostram-se como um importante alvo para as políticas de fomento às exportações.


Palavras-chave


DataViva; exportações; competitividade; potencial competitivo; Minas Gerais

Texto completo:

PDF PDF (English)

Referências


 Balassa, B. (1965). Trade Liberalisation and "Revealed" Comparative Advantage. The Manchester School, 33(2), pp. 99-123.

 Cassano, F. (2002). A teoria econômica e o comércio internacional. Pesquisa & Debate, 13(1), pp.112-128.

 Gabinete de Planejamento, Estratégia, Avaliação e Relações Internacionais. (2010). Vantagens comparativas reveladas do comércio internacional português por grupos de produtos. Boletim Mensal de Economia Portuguesa, 3(12), pp. 39-46.

 Gil, A. C. (2008). Métodos e técnicas de pesquisa social. São Paulo: Atlas.

 Hausmann, R., Hidalgo, C., Bustos, S., Coscia, M., Simoes, A. and Yildirim, M. (2007). Atlas of Economic Complexity. Cambridge: The MIT Press.

 Jones, R., & Neary, P. (1984). The positive theory of international trade. In Jones, R., & Kenen, P. (Ed.). Handbook of International Economics, 1, Amsterdam: North-Holland, pp. 48-53.

 Massachusetts Institute of Technology. (2012). Observatory of Economic Complexity. Retrieved 15 September, 2015, from http://atlas.media.mit.edu/en/profile/hs92/4703.

 Mcierney, R., & Barrows, D. (2002). Management tools for creating government responsiveness: The liquor control board of Ontario as a context for creating change. The Public Sector Innovation Journal, 7(3).

 Minas Gerais. Secretaria de Estado de Governo. (2015). Pimentel lança Fóruns Regionais para assegurar participação popular na gestão estadual: Iniciativa pretende criar canais de diálogo com a sociedade para um melhor planejamento de políticas regionalizadas. Recuperado em 12 setembro, 2015, de http://controladoriageral.mg.gov.br/ajuda/page/202-pimentel-lanca-foruns-regionais-para-assegurar-participacao-popular-na-gestao-estadual.

 Munduruca, D. F. V., & Santana, J. R. (2012). Comércio exterior como estratégia de crescimento econômico: Uma proposta de priorização de produtos exportáveis para a economia sergipana. Revista Econômica do Nordeste, 43(3), pp. 611-630.

 Posner, M.V. International trade and technical change. (1961). Oxford Economic Papers, 13, pp. 323-341.

 Ricardo, D. (1817). On the principles of political economy and taxation: London: J. Murray. publisher not identified.

 Vernon, R. (1966). International investment trade in the product cycle. Quarterly Journal of Economics, 80(2), pp. 190-207.




DOI: http://dx.doi.org/10.18568/1980-4865.12217-30

Article Metrics

Metrics Loading ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Internext - Revista Eletrônica de Negócios Internacionais da ESPM

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia

INTERNEXT (e-ISSN: 1980-4865)

ESPM | Escola Superior de Propaganda e Marketing 

Licença Creative Commons
Este obra foi licenciado sob uma Licença Creative Commons Atribuição 3.0 Não Adaptada.


Rua: Dr. Álvaro Alvim, 123 - Vila Mariana - São Paulo - SP - Cep: 04018-010 - e-mail: internext@espm.br

Indexadores e Diretório: