A carreira na visão de repatriados: Um estudo de caso em uma multinacional brasileira do ramo da mineração

Paula Pacheco de Azevedo Guimarães, Denise Medeiros Ribeiro Salles, Victor Hugo Cabral Cruz Lontra

Resumo


A internacionalização tornou-se realidade para muitas organizações, as quais enviam recorrentemente seus empregados para viver e trabalhar no exterior. No retorno, os repatriados podem não encontrar a concretização de suas expectativas, como a ascensão na carreira, gerando desmotivação e uma possível evasão, o que caracteriza o insucesso da expatriação. Sendo assim, este artigo objetiva analisar as expectativas e percepções dos repatriados sobre o crescimento na carreira e reconhecimento. Foi realizado estudo de caso em uma multinacional brasileira, tendo sido feitas onze entrevistas semi-estruturadas com repatriados, uma com membro da área de mobilidade global e pesquisa documental. Os dados foram tratados através da técnica de análise de conteúdo e observou-se que somente quatro repatriados obtiveram ascensão na carreira, contrariando as expectativas dos demais. Entretanto, quando se trata da percepção de reconhecimento, sete afirmaram sentir-se reconhecidos. Conclui-se que, embora esteja explícito um ausente planejamento de carreira dos repatriados, a sensação de reconhecimento denota confiança destes na organização. Nota-se, ainda, esperança de que as expectativas quanto ao futuro desenvolvimento na carreira sejam concretizadas, em algum momento, com o fim das consequências da crise econômica.


Palavras-chave


Expatriação; Repatriação; Carreira

Referências


ANDREASON, A. (2008) Expatriate adjustment of spouses and expatriate managers: An integrative research review. International Journal of Management, 25(2), 382–395.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 2009.

BLACK, J.; GREGERSEN, H.; MENDENHALL, M. (1999) The right way to manage expats. Harvard Business Review, mar./abr., p. 52-62.

BONACHE, J., BREWSTER, C., SUUTARI, V., DE SAÁ, P. (2010) Expatriation: Traditional criticisms and international careers: introducing the special issue. Thunderbird International Business Review, 52 (4) p. 263-274. DOI: 10.1002/tie.20349.

CAMARA, P. (2008) Gestão de pessoas em contexto internacional. Publicações Dom Quixote, 7- 263.

CHAMPOUX, J. (2011) Organizational Behaviour – Integrating Individuals, Groups, and Organizations. Fourth Edition. New York and London: Routledge.

DERESKY, H. (2004) Administração global: estratégia e interpessoal. Porto Alegre: Ed. Bookman.

DOMINGUES, C. (2011) Políticas de carreiras para o gestor internacional – um estudo em empresas brasileiras internacionalizadas. Tese (Doutorado). Fundação Getúlio Vargas, BRA.

DUTRA, J. (2002) Gestão de pessoas. Modelo, Processos, Tendências e Perspectivas. São Paulo: ATLAS.

DUTRA, J. (2011) Administração de carreira. Uma proposta para repensar gestão de pessoas. São Paulo: Atlas.

FERRAZ, S. (2011) Estarão os expatriados portugueses satisfeitos com a expatriação? Dissertação (Mestrado) Universidade Católica Portuguesa, Portugal.

FINURAS, P. (2011) Gestão Intercultural: Pessoas e Carreiras na Era da Globalização. 3ª Edição. Lisboa: Sílabo.

FREITAS, M. (2006) Expatriação de Executivos. GV EXECUTIVO, 5(4), set./out.

FREITAS, M.; DANTAS, M. (2011) O Estrangeiro e o novo grupo. Revista de Administração de Empresas, 51(6), p. 601-608. http://dx.doi.org/10.1590/S0034-75902011000600008.

GALLON, S. (2011) Repatriação e carreira: possibilidades e desafios. Dissertação (Mestrado em Administração) - Universidade Federal do Rio Grande do Sul-UFRGS, BRA.

GALLON, S.; SCHEFFER, A.; BITENCOURT, B. (2013) Eu fui, voltei e ninguém viu: um estudo sobre a expectativa de carreira após a repatriação em uma empresa brasileira. Cadernos EBAPE.BR, 11 (1), p. 128-148.

GALLON, S.; SCHEFFER, A.; BITENCOURT, B. A EXPATRIAÇÃO E O SEU PAPEL ESTRATÉGICO NAS EMPRESAS INTERNACIONALIZADAS (2014) Internext – Revista Eletrônica de Negócios Internacionais, 9 (3), p. 38-56.

INSTRUÇÃO DE MOBILIDADE GLOBAL (2011) Documento interno.

IVANCEVICH, J. (2008) Gestão de Recursos Humanos. 10. ed. São Paulo: Mcgrawhill.

KUBO, E.; BRAGA, B. (2013) Ajustamento intercultural de executivos japoneses expatriados no Brasil: um estudo empírico. Revista de Administração de Empresas, 53 (3), p. 243-255.

MARTINS, D. (2013) Gestão e Retenção de Repatriados: um estudo empírico em empresas portuguesas. 1ª edição, Madrid: Bubok Publishing S. L.

ORSI, A. (2010) Gestão internacional de pessoas: políticas de recompensas para executivos expatriados por empresas brasileiras. 2010. Tese (Doutorado em Administração) – Universidade de São Paulo-USP, BRA.

SPOHR, N. (2011) O processo repatriação na visão de profissionais repatriados brasileiros. Dissertação (Mestrado) - Fundação Getúlio Vargas - FGV.

SOUSA, A. (2014) A adaptação intercultural da família: um estudo exploratório com expatriados portugueses. Dissertação (Mestrado) - Instituto Politécnico do Porto, Portugal.

TANURE, B; EVANS, P; PUCIK, V. (2007) A gestão de pessoas no Brasil. Virtudes e Pecados Capitais. Estudos de Caso. Rio de Janeiro: ELSEVIER.

TEIXEIRA, L.; SILVA, J.; LESSA, L. (2011) Executivos brasileiros expatriados: percepções da nova função e influência da distância psíquica. REDES, 16 (1) p. 19-38. DOI: http://dx.doi.org/10.17058/redes.v16i1.917

TUNGLI, Z., PEIPERL, M. (2009) Expatriate practices in German, Japanese, UK, and US multinational companies: a comparative survey of changes. Human Resource Management, 48 (1), p. 153-171. DOI: 10.1002/hrm.20271




DOI: https://doi.org/10.18568/1980-4865.11177-90

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2016 Internext - Revista Eletrônica de Negócios Internacionais da ESPM



INTERNEXT (e-ISSN: 1980-4865)

ESPM | Escola Superior de Propaganda e Marketing 

Licença Creative Commons
Este obra foi licenciado sob uma Licença Creative Commons Atribuição 3.0 Não Adaptada.


Rua: Dr. Álvaro Alvim, 123 - Vila Mariana - São Paulo - SP - Cep: 04018-010 - e-mail: internext@espm.br

Indexadores e Diretório: