Internacionalização de empresas de infra-estrutura

Frederico Araujo Turolla, André Ricardo Noborikawa Paiva, Érika Roberta Monteiro

Resumo


A decisão de internacionalização das firmas de infra-estrutura não é trivial. Ao contrário da maioria dos setores, o investimento requer grades volumes de capital, há significativos custos de transação e também envolve questões conjunturais e institucionais, específicas a cada país de destino. Não obstante os elevados riscos, vários grupos econômicos da área de infra-estrutura têm buscado novos mercados para investimento e têm ampliado a parcela das receitas que são obtidas fora dos mercados de origem. O estudo proposto neste artigo constitui refinamento da teoria estabelecida de Negócios Internacionais, com auxílio da Teoria de Organização Industrial sobre a Economia da Infra-Estrutura. A metodologia é teórico-empírica, pois parte de duas teorias estabelecidas. As hipóteses testadas relacionam o Grau de Internacionalização (GI) a um conjunto de determinantes da internacionalização. As conclusões apontam que, à exceção da economia de densidade e da economia de escala, as quais não se mostraram relevantes para explicar a internacionalização de empresas, todas as demais variáveis apontaram para o resultado esperado.

Palavras-chave


Negócios Internacionais; Internacionalização; Organização Industrial; Infra-estrutura.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18568/1980-4865.4140-59

Article Metrics

Metrics Loading ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2015 Internext

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia

INTERNEXT (e-ISSN: 1980-4865)

ESPM | Escola Superior de Propaganda e Marketing 

Licença Creative Commons
Este obra foi licenciado sob uma Licença Creative Commons Atribuição 3.0 Não Adaptada.


Rua: Dr. Álvaro Alvim, 123 - Vila Mariana - São Paulo - SP - Cep: 04018-010 - e-mail: internext@espm.br

Indexadores e Diretório: