Buscando Conexões para o Desastre: Poder e Estratégia na Rede Global de Produção da Vale

Bruno Milanez, Rodrigo Salles Pereira dos Santos, Maíra Sertã Mansur, Tádzio Peters Coelho

Resumo


Utilizando o modelo das Redes Globais de Produção, argumenta-se que os fatores que levaram ao rompimento da Barragem I, da Vale S.A., em Brumadinho (MG) em 2019, podem ser interpretados a partir do exercício de poder corporativo, que anulou os sistemas existentes de pesos e contrapesos, e da captura de valor por meio da redução de custos operacionais para garantir o aumento da remuneração aos acionistas, em um contexto de crescente financeirização. O artigo é construído a partir de revisão bibliográfica e análise documental. A construção do argumento se inicia a partir da construção do conceito de estratégia, definida como um repertório de ações coordenadas desempenhadas por um ou mais agentes que envolve o exercício do poder com o objetivo de: (1) aumentar a capacidade de ampliar ou capturar valor; (2) expandir o poder ou reduzir o poder de outros agentes; e/ou (3) modificar condições de enraizamento, próprias e as de outros agentes. Lançando mão dessa definição, em seguida, apresenta-se uma análise de restrições e oportunidades de geração e captura de valor pela Vale e da associação de suas estratégias com um aumento do risco operacional da Barragem I.


Palavras-chave


Redes Globais de Produção (RGPs); Minério de Ferro; Barragem de rejeito

Texto completo:

PDF

Referências


Aguiar, T. T. (2019). O solo movediço da globalização: relações de trabalho na Vale S.A. (Doutorado), University de São Paulo,

Anderson, J. E. (2003). Public policymaking: an introduction (5 ed.). Boston; New york: Houghton Mifflin Company.

Angelo, M. (2019, 22 Fev). Vale ditou regras para simplificar licenciamento ambiental em MG. Repórter Brasil. Retrieved from https://reporterbrasil.org.br/2019/02/vale-ditou-regras-para-simplificar-licenciamento-ambiental-em-mg/

ANM. (2018). Maiores Arrecadadores CFEM. Agência Nacional de Mineração. Retrieved from https://sistemas.dnpm.gov.br/arrecadacao/extra/Relatorios/cfem/maiores_arrecadadores.aspx

Bedinelli, T. (2016, 12 Dez). Os sem-terra desafiam a gigante Vale na Amazônia. El País. Retrieved from https://brasil.elpais.com/brasil/2016/11/23/politica/1479905291_797076.html

Bertollo, K. (2017). Mineração e superexploração da força de trabalho: análise a partir da realidade de Mariana-MG. (Doutorado), Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis.

Bhattacharyya, S. S., & Deepak, P. K. (2012). Comprehending the changing global iron ore trade service system and the dynamics of pricing. International Journal of Business and Globalisation, 9(1), 70-89.

Bourdieu, P. (2005). O campo econômico. Política & Sociedade, 4(6), 15-58.

Bowker, L. N., & Chambers, D. M. (2017). In the dark shadow of the supercycle tailings failure risk & public liability reach all time highs. Environments, 4(75), 1-21.

Brandt Meio Ambiente. (2010). Mina Córrego do Feijão - Relatório de Avaliação de Desempenho Ambiental (RADA). Retrieved from Belo Horizonte:

Brandt Meio Ambiente. (2014). Mina da Jangada e Mina Córrego do Feijão - Relatório de Avaliação de Desempenho Ambiental (RADA). Retrieved from Belo Horizonte:

Brito, A. (2011, 23 Ago). Minério em alta faz Vale investir em recuperar toneladas de rejeito. Folha S. Paulo. Retrieved from https://www1.folha.uol.com.br/fsp/mercado/me2308201130.htm

Campos, C. M. (2015). As práticas empresariais à luz da Justiça ambiental: análise de um conflito entre água e mineração em Brumadinho, Minas Gerais, de 2011 a 2015. (MBA), Fundação Getúlio vargas, Belo Horizonte.

Coe, N. M., Dicken, P., & Hess, M. (2008). Global production networks: realizing the potential. Journal of Economic Geography, 8(3), 271-295.

Coe, N. M., Lai, K. P., & Wójcik, D. (2014). Integrating finance into global production networks. Regional Studies, 48(5), 761-777.

Coe, N. M., & Yeung, H. W.-C. (2015). Global Production Networks: theorizing economic development in an interconnected world. New York: Oxford University Press.

Coelho, T. P., Milanez, B., & Pinto, R. G. (2016). A empresa, o Estado e as comunidades. In M. Zonta & C. Trocate (Eds.), Antes fosse mais leve a carga: reflexões sobre o desastre da Samarco / Vale / BHP Billiton (pp. 183-227). Marabá: Editorial iGuana.

Cox, K. R. (1998). Spaces of dependence, spaces of engagement and the politics of scale, or: looking for local politics. Political geography, 17(1), 1-23.

Davies, M., & Martin, T. (2009). Mining Market Cycles and Tailings Dam Incidents. Paper presented at the 13th International Conference on Tailings and Mine Waste, Banff, AB. http://www.infomine.com/publications/docs/Davies2009.pdf

Dicken, P. (2011). Global shift: mapping the changing contours of the world economy. New York: The Guilford Press.

Domenici, T. (2017, 23 Nov). Estrada de ferro Carajás: Processados pela Vale. Agência Pública. Retrieved from https://apublica.org/2017/11/processados-pela-vale/

Dörry, S. (2016). The geographies of industrialised finance: probing the Global Production Networks of Asset Management. Geography Compass, 10, 3-14.

Dye, T. R. (2013). Understanding public polic (14 ed.). Saddle River: Pearson Education, Inc.

Emerman, S. H. (2019). English-language summary of a 2010 Master’s thesis on the stability of the failed dam at the Córrego do Feijão Mine. Retrieved from Spanish Fork, UT:

ESMAP, Mundial, B., & ICMM. (2005). Toolkit. Ferramentes para Desenvolvimento de Comunidades. Versão Preliminar. Retrieved from http://www.ibram.org.br/sites/1300/1382/00000087.pdf

FEAM. (2019, 08 Fev). Gestão de barragens. Fundação Estadual do Meio Ambiente. Retrieved from http://www.feam.br/monitoramento/gestao-de-barragens

Felippe, M. F. (2019). [Comunicação pessoal. Relato de campo].

Fligstein, N. (2002). The architecture of markets: An economic sociology of twenty-first-century capitalist societies: Princeton University Press.

Franca, P. (2009). Projetos de disposição de rejeitos na Vale: diversidade de soluções, riscos e desafios. Paper presented at the 13o Congresso Brasileiro de Mineração, Belo Horizonte. http://www.ibram.org.br/sites/1300/1382/00000551.pdf

Fuchs, D. (2013). Theorizing the power of global companies. In J. Mikler (Ed.), The handbook of global companies (pp. 77-95). West Sussex: John Wiley & Sons.

Gereffi, G. (1994). The Organization of buyer-driven global commodity chains: How U.S. retailers shape overseas production networks. In G. Gereffi & M. Korzeniewicz (Eds.), Commodity chains and global capitalism. Westport: Praeger.

Gereffi, G., Humphrey, J., & Sturgeon, T. (2005). The governance of global value chains. Review of International Political Economy, 12(1), 78-104.

Giffoni Pinto, R. (2015). Dos riscos das políticas às políticas do risco: um estudo sobre os “riscos sociais corporativos” e suas formas de gestão. (Doutorado), Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro.

Granovetter, M. (2007). Ação econômica e estrutura social: o problema da imersão. RAE Eletrônica, 6(1), 1-41.

Henderson, J., Dicken, P., Hess, M., Coe, N. M., & Yeung, H. W.-C. (2002). Global production networks and the analysis of economic development. Review of International Political Economy, 9(3), 436-464.

Hess, M. (2004). 'Spatial relationships? Towards a reconceptualization of embeddedness. Progress in Human Geography, 28(2), 165-186.

INESC. (2017, 28 Nov). Vale no centro do conflito de terra em Canaã dos Carajás. Retrieved from http://amazonia.inesc.org.br/materias/vale-no-centro-do-conflito-de-terra-em-canaa-dos-carajas/

International Trade Center. (2019). Trade map: trade statistics for international business development. Retrieved from http://www.trademap.org

Kaplinsky, R. (1998). Globalisation, industrialisation, and sustainable growth: the pursuit of the Nth rent (365). Retrieved from Brighton

Löf, A., & Ericsson, M. (2016). Iron Ore Market Report 2016. Engineering and Mining Journal, 217(11), 22-26.

Löf, A., & Ericsson, M. (2017). Iron Ore Market Report 2017. Engineering and Mining Journal, 218(11), 32-37.

Ma, Y. (2013). Iron ore spot price volatility and change in forward pricing mechanism. Resources Policy, 38(4), 621-627.

Mansur, M., Wanderley, L. J. M., Milanez, B., Santos, R. S. P., Pinto, R. G., Gonçalves, R. J. A. F., & Coelho, T. P. (2016). Antes fosse mais leve a carga: introdução aos argumentos e recomendações referentes ao desastre da Samarco / Vale / BHP Billiton. In M. Zonta & C. Trocate (Eds.), Antes fosse mais leve a carga: reflexões sobre o desastre da Samarco / Vale / BHP Billiton (pp. 17-49). Marabá: Editorial iGuana.

Market index. (2018). Iron Ore 37yr price history. Market index,. Retrieved from https://www.marketindex.com.au/sites/default/files/commodities/iron-ore-price-history.xlsx

Milanez, B., Coelho, T. P., & Wanderley, L. J. M. (2017). O projeto mineral no Governo Temer: menos Estado, mais mercado. Versos - Textos para Discussão PoEMAS, 1(2), 1-15.

Milanez, B., Magno, L., Santos, R. S. P., Coelho, T. P., Giffoni Pinto, R., Wanderley, L. J. M., . . . Gonçalves, R. J. A. F. (2019). Minas não há mais: avaliação dos aspectos econômicos e institucionais do desastre da Vale na bacia do rio Paraopeba. Versos - Textos para Discussão PoEMAS, 3(1), 1-114.

Milanez, B., Santos, R. S. P., Magno, L., Wanderley, L. J. M., Mansur, M. S., Giffoni Pinto, R., . . . Coelho, T. P. (2018). A Estratégia Corporativa da Vale S.A.: um modelo analítico para Redes Globais Extrativas. Versos - Textos para Discussão PoEMAS, 2(2), 1-43. doi:10.13140/RG.2.2.17430.60483

Mintzberg, H. (1987). The strategy concept I: five Ps for strategy. California Management Review, 30(1), 11-34.

MME. (2011). Plano Nacional de Mineração 2030. Brasília: Ministério de Minas e Energia, Secretaria de Geologia, Mineração e Transformação Mineral.

Nicho Engenheiros Consultores Ltda. (2010a). Mina Córrego do Feijão recuperação de pellet feed da barragem I e VI e estruturas associadas - Estudo de Impacto Ambiental (EIA). Brumadinho.

Nicho Engenheiros Consultores Ltda. (2010b). Mina Córrego do Feijão recuperação de pellet feed da barragem I e VI e estruturas associadas - Plano de Controle Ambiental (PCA). Brumadinho.

Nicho Engenheiros Consultores Ltda. (2014). Mina da Jangada - continuidade das operações da mina da Jangada - Estudo de Impacto Ambiental e Plano de Controle Ambiental EIA/PCA Tomo I. Belo Horizonte.

Oliveira, C. R. (2013). Quem é quem nas discussões do novo código da mineração. Rio de Janeiro: IBASE.

Oliveira, C. R. (2015). Quem é quem nas discussões do novo código da mineração 2014 Rio de Janeiro: IBASE.

Pirete da Silva, W. (2010). Estudo do potencial de liquefação estática de uma barragem de rejeito alteada para montante aplicando a metodologia de Olson (2001). (Mestrado Profissional), Universidade Federal de Ouro Preto, Ouro Preto.

Possato, V., Zuba, F., & Andrade, N. (2019, 27 Mai). Brumadinho: terrenos atingidos pela lama da Vale têm potencial de mineração. G1. Retrieved from https://g1.globo.com/mg/minas-gerais/noticia/2019/05/27/brumadinho-terrenos-atingidos-pela-lama-da-vale-tem-potencial-de-mineracao.ghtml

Ramalho, J. R., & Santos, R. S. P. (2018). Trabalho e ação sindical em Redes Globais de Produção. Tempo Social, 30(1), 9-29.

Rehner, J. (2012). Territorios corporativos: Una reflexión desde la geografía económica para evitar la axiomatización de los discursos. Espacios, 2(4), 27-42.

Santos, R. S. P. (2010). A forja de Vulcano: siderurgia e desenvolvimento na Amazônia Oriental e no Rio de Janeiro. (Ph.D.), Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro.

Santos, R. S. P. (2011). Redes de produção globais (RPGs): contribuições conceituais para a pesquisa em ciências sociais. Revista Pós Ciências Sociais, 8(15), 127-141.

Santos, R. S. P. (2016). Análise de Conjuntura: boom e pós-boom da mineração. Paper presented at the Seminário ‘Modelo de Extrativismo Mineral sob Crítica’, Vitória (ES).

Santos, R. S. P. (2017). A nova governança corporativa da Vale S.A.: um percurso político em direção à “true corporation”. Versos - Textos para Discussão PoEMAS, 1(4), 1-20.

Santos, R. S. P., & Milanez, B. (2015a). Redes Globais de Produção (RGPs) e conflito socioambiental: A Vale SA e o complexo minerário de Itabira. Paper presented at the VII Simpósio Internacional de Geografia Agrária, Goiânia.

Santos, R. S. P., & Milanez, B. (2015b). A RGP da Anglo American e conflitos socioambientais na mineração de ferro: valor, poder e enraizamento no Projeto Minas-Rio. Paper presented at the 39º Encontro Anual da ANPOCS, Caxambu, MG.

Santos, R. S. P., & Milanez, B. (2017). Estratégias corporativas no setor extrativo: uma agenda de pesquisa para as Ciências Sociais. Caderno Eletrônico de Ciências Sociais, 5(1), 01-26.

Santos, R. S. P., & Wanderley, L. J. M. (2016). Dependência de barragem, alternativas tecnológicas e a inação do estado: repercussões sobre o monitoramento de barragens e o licenciamento do Fundão. In M. Zonta & C. Trocate (Eds.), Antes fosse mais leve a carga: reflexões sobre o desastre da Samarco / Vale / BHP (Vol. 2, pp. 87-137). Marabá: Editorial Iguana.

SICONFI. (2018). Consultar Declaração. Sistema de Informações Contábeis e Fiscais do Setor Público Brasileiro. Retrieved from https://siconfi.tesouro.gov.br/siconfi/pages/public/declaracao/declaracao_list.jsf;jsessionid=uqR1rIUadzbSJK5xsKBDdguk.node1

Silva, M. Z. (2004). A Vale do Rio Doce na estratégia do desenvolvimentismo brasileiro. Vitória: EDUFES.

Silveira, M. L. (2007). Los territorios corporativos de la globalización. Geograficando, 3(3).

Sukagawa, P. (2010). Is iron ore priced as a commodity? Past and current practice. Resources Policy, 35(1), 54-63.

Szablowski, D. (2007). Transnational law and local struggles: mining, communities and the World Bank. Oxford and Portland, Oregon: Hart Publishing.

Triner, G. D. (2011). Mining and the state in Brazilian development. London: Pickering & Chatto.

Tüv Süd. (2018). Revisão periódica de segurança de barragem mina Córrego Feijão - Barragem I - Relatório técnico. Retrieved from

União, Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis , Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade, Agência Nacional de Águas, Departamento Nacional de Produção Mineral, Fundação Nacional do Índio, . . . BHP Billiton Brasil Ltda. (2016). Termo de Transação e de Ajustamento de Conduta. Brasília.

Vale. (2011, 28 Abr). Formulário 20-F. Relatório Anual 2010. Retrieved from http://www.vale.com/PT/investors/information-market/annual-reports/20f/20FDocs/20F_2010_p.pdf

Vale. (2015a). Formulário de Referência 2015. Rio de Janeiro: Vale S.A.

Vale. (2015b). GARAL 644/2015 Ref PA COPAM 245/2004/046/2010 - Rev. LO 211/2011 - Revalidação Mina Córrego do Feijão. Nova Lima: Vale S.A.

Vale. (2016a). Formulário de Referência 2016. Rio de Janeiro: Vale S.A.

Vale. (2016b). Mina da Jangada e Mina Córrego do Feijão - Relatório de Avaliação de Desempenho Ambiental - RADA. Belo Horizonte: Vale S.A.

Vale. (2017a, 10 Abr). Formulário 20-F. Relatório Anual 2016. Retrieved from http://www.vale.com/PT/investors/information-market/annual-reports/20f/20FDocs/Vale_20-F_FY2016_-_p.pdf

Vale. (2017b). Formulário de Referência 2017. Rio de Janeiro: Vale S.A.

Vale. (2017c). Produção e vendas da Vale no 4T16. Rio de Janeiro: Vale S.A.

Vale. (2018a). Demonstrações Financeiras 31 de dezembro de 2017. IFRS em US$(Português). Retrieved from Rio de Janeiro: http://www.vale.com/PT/investors/information-market/quarterly-results/ResultadosTrimestrais/vale_IFRs_BRL_3T18p.pdf

Vale. (2018b, 13 Abr). Formulário 20-F. Relatório Anual 2017. Retrieved from http://www.vale.com/EN/investors/information-market/annual-reports/20f/20FDocs/Vale_20F_2017_i.PDF

Vale. (2018c). Formulário de Referência 2018. Rio de Janeiro: Vale S.A.

Vale. (2018d). Relatório da Administração. Desempenho da Vale em 2017. Retrieved from Rio de Janeiro: http://www.vale.com/PT/investors/information-market/quarterly-results/ResultadosTrimestrais/RELATORIO%20DA%20ADMINISTRACAO%202017.pdf

Vale. (2018e). Relatório de Sustentabilidade 2017. Rio de Janeiro.

Vale. (2019a). Demonstrações Financeiras 31 de dezembro de 2018. IFRS em US$(Português). Retrieved from Rio de Janeiro: http://www.vale.com/PT/investors/information-market/quarterly-results/ResultadosTrimestrais/vale_IFRs_BRL_3T18p.pdf

Vale. (2019b, 13 Abr). Formulário 20-F. Relatório Anual 2018. Retrieved from http://www.vale.com/PT/investors/information-market/annual-reports/20f/20FDocs/Vale_20-F%20FY2018%20-%20final_p.pdf

Vale. (2019c). Produção e vendas da Vale no 4T18. Rio de Janeiro: Vale S.A.

Vale. (2019d). Relatório de Sustentabilidade 2018. Rio de Janeiro: Vale S.A.

Valor Econômico. (2015, 16 Mar 2015). Vale é autuada por manter pessoas em condição análoga a de escravo. Retrieved from https://www.valor.com.br/brasil/3956532/vale-e-autuada-por-manter-pessoas-em-condicao-analoga-de-escravo

Wainberg, R. (2017, 12 Dez). O que são debêntures? Pergunta muito comum no mercado financeiro. Suno Research. Retrieved from https://www.sunoresearch.com.br/artigos/o-que-sao-debentures/

Wanderley, L. J. M. (2012). Recursos minerais na Amazônia brasileira: impactos e perspectivas. In J. Malerba (Ed.), Novo Marco Legal da Mineração no Brasil: para quê? Para quem? Rio de Janeiro: Fase.

Wilson, J. D. (2013). Governing global production resource networks in the Asia-Pacific steel industry. Hampshire: Palgrave Macmillan.

World Bank. (2019, 03 Mar). World Bank commodity price data (The Pink Sheet). World Bank Retrieved from http://www.worldbank.org/en/research/commodity-markets

Xavier, J. B., & Vieira, L. P. O. (2017). Interdito proibitório: instrumento de perseguição e isolamento da lutas populares. Caderno Eletrônico de Ciências Sociais, 5(1), 71-93.

Yao, J., Ma, L., & Zhang, L. (2018). From Lab Experiments to Real Negotiations: An Investigation of International Iron Ore Negotiations. Negotiation Journal, 34(1), 69-87.




DOI: http://dx.doi.org/10.18568/internext.v14i3.561

Article Metrics

Metrics Loading ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2019 Internext

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia

INTERNEXT (e-ISSN: 1980-4865)

ESPM | Escola Superior de Propaganda e Marketing 

Licença Creative Commons
Este obra foi licenciado sob uma Licença Creative Commons Atribuição 3.0 Não Adaptada.


Rua: Dr. Álvaro Alvim, 123 - Vila Mariana - São Paulo - SP - Cep: 04018-010 - e-mail: internext@espm.br

Indexadores e Diretório: