Percepção de riscos na internacionalização do setor alimentício

Gabrielle Ribeiro Rodrigues da Silva, Simone Cristina Ramos, Gustavo Abib, Karina De Déa Roglio

Resumo


O processo de internacionalização de organizações brasileiras está em ascensão gradativa. Em atividades internacionais os riscos, já presentes no mercado doméstico, são incrementados em função das características peculiares do mercado em que se deseja inserir um produto ou serviço. Ainda que em termos ideais seja possível afirmar que é necessário analisar todos os riscos que podem acometer a organização, a racionalidade limitada não permite ao gestor da organização processar todas as informações, seja por falta de conhecimento ou capacidade analítica. Sendo assim, o objetivo proposto para este artigo é compreender quais são os riscos percebidos associados ao processo de internacionalização em empresas do setor alimentício. A abordagem condutora da investigação é estudo de casos múltiplos, alicerçados em entrevistas semi estruturadas, observação e análise documental. Os resultados indicam diversidades no conceito de riscos entre as organizações; diferenças entre os tipos de riscos considerados e influência desta percepção sobre as práticas organizacionais. Como contribuição é possível apontar a construção de evidências coerentes com a teoria comportamental de internacionalização, onde mais do que um processo comercial e econômico, tal ação constitui-se como uma construção complexa da realidade, influenciada pela percepção e atitudes dos gestores envolvidos.


Palavras-chave


Risco; Internacionalização; Teoria Comportamental de Internacionalização; Percepção de Riscos.

Texto completo:

PDF PDF (English)

Referências


 ANDRESEN, M.; BERGDOLT, F. A systematic literature review on the definitions of global mindset and cultural intelligence: merging two different research streams. The International Journal of Human Resource Management, v. 28, n.1, 2017.

 BANDEIRA-DE-MELLO, R.; FLEURY, M.T.L.; AVELINE, C. E. S.; GAMA, M. A. B. Unpacking the ambidesterity implementation process in the internationalization of emerging market multinationals. Journal of Business Research, v. 1, p. 1-13, 2016.

 BEECHLER, S.; JAVIDAN, M. Leading with a global mindset: The Global Mindset. Advances in International Management, v. 19, p.131–169, 2007.

 BLACK, J. S. The relationship of personal characteristics with the adjustment of Japanese expatriate managers. Management International Review, v.30, n.2, p.119-134, 1990.

 BLOMSTERMO, A.; SHARMA, D. D. Learning in the internationalisation process off firms. Edward Elgar Publishing, 2003.

 BORINI, F.; FLEURY, M. Development of non-local competences in foreign subsidiaries of Brazilian multinationals. European Business Review, v.23, i.1, p.106-119, 2011. DOI: 0.1108/09555341111098017

 BOUQUET, C. Building global mindsets: an attention-based perspective. New York: Palgrave Macmillan, 2005.

 BROWN, J. F. O executivo global: conselhos práticos para o sucesso em um mercado transcultural. Porto Alegre: Bookman, 2008.

 CALDERÓN, P. A. L.; GUEDES, A. L. M.; CARVALHO, R. W. Gestão internacional de recursos humanos: adaptabilidade intercultura na expatriação de brasileiros. Internext - São Paulo, v.11, n. 1, p. 6-20, mai./ago. 2016.

 DEKKER, W. D.; JANSEN, P. G. W. and VINKENBURG, C. J. Dimensions of an individual global mindset, 2005.

 EGEL, E.; FRY, L.W. Cultivating a Global Mindset Through “Being-Centered” leadership. In: Judi Neal. Handbook of Personal and Organizational Transformation. USA: Springer International Publishing, 2017.

 FELÍCIO, J.; CALDEIRINHA, V.; RODRIGUES, R. Global mindset and the internalization of small firms: the importance of the characteristics of entrepreneurs. International Entrepreneurship and Management Journal, v. 8, n.4, p. 467-485, 2012.

 FLEURY, M.T.L.; FLEURY, A. O desenvolvimento das multinacionais brasileiras no cenário global. GVExecutivo, v. 15, n. 1, jan./jun. 2016.

 FLEURY, A. ; SHI, Y.; FERREIRA JR., S.; CORDEIRO, J.H.; FLEURY, M.T.L. O desenvolvimento de competências de multinacionais brasileiras. GV Pesquisa, anuário de pesquisa 2015-2016.

 GHEMAWAT, P. Redefining global strategy: crossing borders in a world where differences still matter. Harvard Business School Press, 2007.

 GUPTA, A.; GOVINDARAJAN, V. Cultivating a global mindset. Academy of Management Executive, v.16, n.1, p.116-126, 2002.

 HITT, M. A.; IRELAND, D.; CAMP, S. M.; SEXTON, D. L. Guest editors´introuction to the special issue strategic entrepreuneurship: entrepreneurial strategies for wealth creation. Strategic Management Journal, v. 22, n.6/7, p. 479-491, 2001.

 HOUSE, R.; JAVIDAN, M.; DORFMAN, P. Project GLOBE: An Introduction. Applied Psychology: An International Review, v. 50, n.4, p. 489-505, 2001.

 JAVIDAN, M.; STAHL, G. K.; BRODBECK, F.; WILDERO, C. P.M. Cross-border transfer of knowledge: cultural lessons from Project GLOBE. Academy of Management Executive, v. 19, n.2, 2005.

 JAVIDAN, M.; STEERS, R. M.; HITT, M. A. The global mindset: advances in international management. Oxford: Elsevier JAI, 2007.

 JAVIDAN, M.; BOWEN, D. The ‘Global Mindset’ of managers: What it is, why it matters, and how to develop it. Organizational Dynamics, v. 42, n. 2, p. 145-155, 2013.

 JAVIDAN, M.; WALKER, J. L. Developing your global mindset: the handbook for successful global leaders. Edina: Beaver's Pond, 2013.

 JEANNET, J. P. Managing with a global mindset. London: Times/Prentice Hall, 2000.

 KEDIA, B.; MUKHERJI, A. Global managers: developing a mindset for global competitiveness. Journal of World Business, v.34, n.3, p. 230–252, 1999.

 KEFALAS, A. G. Think globally, act locally. Thunderbird International Business Review, v.40, n.6, p.547-562, 1998.

 KUADA, J. Global mindsets: exploration and perspectivas. USA: Routkedge, 2016.

 LEE, S. M.; PETERSON, S. N. Culture, entrepreneurial orientation, and global competitiveness. Journal of World Business, v. 35, p. 401-416, 2000.

 McCALL, M.; HOLLENBECK, G. Developing global executives: the lessons of international experience. Boston: Harvard Business School Press, 2002.

 MIOCEVIC, D.; CRNJAK-KARANOVIC, B. Global mindset: a cognitive driver of small and medium-sized enterprise internationalization; The case of Croatian exporters. EuroMed Journal of Business, v. 7, n.2, p. 142-160, 2012.

 NEVES, V.; TOMEI, P. Global mindset e comportamento da liderança. Revista Ibero-Americana de Estratégia – RIAE, v. 15, n.2. April/June. 2016.

 OSLAND, J. S., BIRD, A., MENDENHALL, M.; OSLAND, A. Developing global leadership capabilities and global mindset: a review. In: STAHL, G. K. and BJÖRKMAN, I. Handbook of Research in International Human Resource Management, 2. ed. Reino Unido: Edward Elgar Publishing, 2012.

 PLUMMER, D. L. Overview of the Field of diversity management. In: ___. Handbook of Diversity Management: beyond awareness to competency based learning. Laham: University Press of America. 2001. Cap. 5.

 RAMSEY, J. R.; RUTTI, R. M.; LORENZ, M. P.; BARAKAT, L, L.; SANT’ANNA, A.S. Developing global transformational leaders. Journal of World Business, v. 52, i. 4, p. 461-473, June 2017. https://doi.org/10.1016/j.jwb.2016.06.002

 REIS, G. G.; FLEURY, M. T. L. O global mindset de empresas early movers e late movers é diferente? Influências do ambiente local e do grau de internacionalização. XIII Semead na FEA-USP, Anais Semead... 2010.

 ROSAL, A.S.R. Gestão de Recursos Humanos Internacional e o Ajustamento Intercultural do Executivo Expatriado. Psic. Rev. São Paulo, v. 24, n.1, p. 121-141, 2015.

 RUAS, R. Desenvolvimento de competências gerenciais e a contribuição da aprendizagem organizacional. In FLEURY, M. T.; OLIVEIRA Jr., M (Org.). Gestão estratégica do conhecimento. São Paulo: Atlas, 2001. p.242-267.

 SANDBERG, J.; TARGAMA, A. The rise of an interpretative perspective on management. Managing Understanding in Organizations. California: Sage, 2007.

 STORY, J. S. P.; BARBUTO, J. E. Global Mindset: A Construct Clarification and Framework. Journal of Leadership & Organizational Studies, v. 18, n. 3, p. 377-384, 2011.

 STORY, J. S. P., BARBUTO JR., J. E., LUTHANS, F.; BOVAIRD, J. A. Meeting the challenges of effective international HRM: analysis of the antecedents of global mindset. Human Resource Management, v. 53, n.1, p. 131–155, 2014.

 TANURE, B.; DUARTE, R. G. Sensibilidade cultural. GV Executivo, v.5, n.4, 2006.

 TANURE, B., CYRINO, A.; PENIDO, E. Seus executivos estão prontos para comandar lá fora? Valor Econômico – Eu e Carreira, São Paulo, 2005.

 URBAN, T. P.; FLEURY, M. T. L. Competências e internacionalização: um estudo de caso em empresa brasileira com subsidiária de produção no exterior. VIII Semead na FEA-USP, 2005.

 WEICK, K. E.; SUTCLIFFE K.M.; OBSTFELD, D. Organizing and the process of sensemaking. Organization Science, v.16, n.4, p.409-421, 2005.

 WINCK, M.F.; FROEHLICH, C.; BOHNENBERGER, M. C.; BESSI, V. G.; SCHREIBER, D. O desenvolvimento das competências e líderes globais: uma abordagem baseada nos estudos de global mindset leadership. Internext - São Paulo, v.11, n. 2, p. 35-48, mai./ago. 2016.




DOI: http://dx.doi.org/10.18568/1980-4865.1321-13

Article Metrics

Metrics Loading ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2018 Internext - Revista Eletrônica de Negócios Internacionais da ESPM



INTERNEXT (e-ISSN: 1980-4865)

ESPM | Escola Superior de Propaganda e Marketing 

Licença Creative Commons
Este obra foi licenciado sob uma Licença Creative Commons Atribuição 3.0 Não Adaptada.


Rua: Dr. Álvaro Alvim, 123 - Vila Mariana - São Paulo - SP - Cep: 04018-010 - e-mail: internext@espm.br

Indexadores e Diretório:


Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia